Follow by Email

sábado, 30 de abril de 2011

Terreiro Aldeia Sultão das Matas Virgens. Mãe Ruth de Oxalá

Esse terreiro foi minha Casa literalmente falando. Morei nesse lindo lugar a partir de 1989 que por motivos de necessidade real mesmo eu e minha mãe fomos prá lá morar. Ficava na Quadra 13 Conj B Lote 26 em Sobradinho DF.

Eu estou ao lado dela a esquerda da foto.

Então nossa vida era dividida entre a Casa na Quadra 13 e a Roça que fica no Alto Moji Santo Antônio, próximo ao Pólo de Cinema de Sobradinho.


Essa é a Aldeia Sultão das Matas Virgens e na foto é minha mãe Tania.
Mãe Ruh de Oxalá sempre foi bela e extrovertida.






 Participava sempre das comemorações da cidade e lá tinha uma barraca no Aniversário de Sobradinho.

Nessa foto acima Mãe Ruth está ao lado de minha mãe tambem vestida a caráter de baiana de Candomblé.

Quando a gente ia pra Roça de Candomblé a gente não tinha dia pra voltar e era nossa alegria todo aquele mundo, afinal lá tinha tudo, espaço, cabras, água em abundância, carinho etc...



Essa é a foto de um adesivo que ela trouxe pra mim em 1991 de Uberlândia MG. Ela foi fazer umas obrigações em um terreiro de Omulokô de lá e lembrou de mim. Mãe Ruth era muito carinhosa e detalhe. Ela não andava. Tinha as cartilagens do joelho estragadas, mas quando Seu Sultão chegava ele a levantava, andava, corria, subia escadas etc. Esse caboclo é de muita força.

"Salve salve as cachoeiras e as florestas
Por onde vai passar Sultão das Matas
Salve Salve os caboclos guerreiros
E todo o povo que vem do além
Todo povo que vem do além!"

Me lembro com clareza do dia do Show de Jimmy Cliff na Academia de Tênis em Brasília. Ouvi pela antiga Rádio Jornal de Brasília FM, rádio essa que eu amava. Mãe Ruth disse: "Sou madrinha dele.A gente vai nesse show" Pronto lá fomos nós sem um tostão nem  pra comprar um pastel kkk. Ouvimos pela rádio que ele estava hospedado no Kubstchek Plaza Hotel no Setor Hoteleiro Norte da Cidade e pra lá fomos. Foi conosco a Jaqueline que falava inglês e foi à recepção dizendo que a madrinha do Jimmy esrava no carro no térreo do hotel( o carro era uma Brasília rs). Ela deve ter ficado lá uma meis hora. Depois eu quase não acreditei... Era o próprio Jimmy que estava lá conosco e como foi uma alegria. Eles conversaram tiramos várias fotos e quando começou o auê de fãs ele subiu mas sem antes nos deixar os ingressos para o show. E que show. Já de noite eu estava do lado de fora no estacionamento com o motorista que nos levou quando ouvi pela Rádio Jornal de Brasília que a madrinha de Jimmy Cliff estava chegando ao palco. Poxa vida, mais do que depressa entrei no Clube e curti um show inesquecível que marcou minha vida.


Aí na foto somos eu, Jimmy e Mãe Ruth.

Uma vez antes dela fazer a passagem ela me disse assim:"Meu filho, escolha o que vc quer pra guardar de recordação quendo eu me for" Eu falei" Credo mãe Ruth, que conversa é essa? a senhora ainda vai demorar muito aqui" Mas ela insistiu muito então eu disse:" Quero a Imaculada Conceição. Mas sei que quando isso acontecer muita gente vai querer se apoderar de tudo por isso eu vou tirar uma foto com ela tá bem?" Então a Mãe Ruth de onde estava sentada tirou essa foto:

Eu só tenho a agradecer pelo presente de fazer parte da vida dela e ela fazer tanta diferença em minha vida. Salve as águas de Angola com toda sua magia. Ela responsável sim pela minha formatura juntamente com minha mãe carnal Tânia.

Até a próxima!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Me pediram pra contar um pouco dos terreiros que já visitei...

Espero que não seja visto com maus olhos pq o meu objetivo é apenas passar um pouco daquilo que já vi por aqui e por ali... Vou começar descrevendo o Centro que me deu toda a base até hoje na Umbanda. O Centro Espírita Xangô Sambará.




Na verdade quando eu conheci Xangô Sambará nas pessoas de Pai Antonio Rita e Mãe Osmarina Xavier eu morava em uma Casa da Nação Angola mas não tinha dado nenhuma obrigação na Casa, era apenas morador da grande zeladora Mãe Ruth de Oxalá:


Foto: Mãe Ruth e minha mãe Tania Gama.
Então no ano de 1991 eu conheci no mês de dezembro a Mãe Osmarina porque tinha ido atrás, juntamente com meu irmão na Casa Danilo, de tambores para a festa de Ano Novo. 


Fiquei de voltar na reabertura do centro que aconteceu em abril de 1992 e lá estavam meus amigos Pai Rita e Mãe Osmarina 






Nesse dia eu fiquei sinceramente muito encantado com tudo que eu via. O ritual de Umbanda era simples e muito interativo com cantigas que eu podia entender. Na abertura pude ver "baixar" Xangô, Iemanjá, Oxum e vários outros orixás.


Até que em determinado momento chegou o cheve do terreiro, Seu Pena Verde, hj meu padrinho:












Com isso deu início à chamada Gira de Caboclo com vários índios se manifestando. Fiquei simplesmente encantado! Depois de várias reverências e cânticos a Oxosse rei das matas e seus caboclos, chegou a hora do passe e por providência divina mesmo, acabei sendo consultado pela cabocla Jurema de uma irmã chamada Áurea, pedagoga e professora.



Nesse dia Dona Jurema me falou sobre tanta coisa, coisa minha desde criança e acabei me encantando com tudo o ritual e com todo o terreiro do qual dei minha primeira obrigação em Agosto daquele mesmo ano nesse lugar sagrado, santuário de Umbanda,onde se louva com o coração, anda de pé no chão e se sente o cheiro da alfazema e do bejoim...


É um dos Centros ativos mais antigos da cidade e funciona quinzenalmente no mesmo local a tantos e tantos anos na Quadra 17 Conj A casa 56 Sobradinho DF.


"Brilha uma estrela no céu
Iluminando as pedreiras
Morada de meu Pai Xangô
Beleza do Reino de Oxalá


E lá nas matas os passarinhos cantam
Com grande vibração
E eu de joelhos
Faço a minha oração


Meu Pai Xangô tire as pedras do caminho
Deixa seus filhos passar
Ilumina meus caminhos com a sua Luz
Xangô, ministro de Jesus!"


Aos poucos vou contar mais de minhas visitas a tantas casas nesses 20 anos de aprendizagem com o mundo espiritual.


Vou pedir pra minha filhinha mandar um beijo pra vcs...







5 minutos de sabedoria com PaiAgenor 93 anos de idade e 88 de feito.

Aqui Pai Agenor fala de Orixás, Prece, Ética, Fé, Mudanças, Felicidade dentro desse mundo lindo do Candomblé... 
Vale a pena...

Espero a cada dia trazer novidades.

As vezes a gente pode se sentir como os Cherokees, achando que estamos sós. Leia com atenção...


Você conhece a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees?

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.

O filho se senta sozinho no topo de um montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.

Ele não pode gritar por socorro para ninguém.

Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.

Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.

O menino está naturalmente amedrontado. Ele pode ouvir toda espécie de barulho. Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele. Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir pica-lo. Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

Finalmente...

Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida. Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele. Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos!

Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'. Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.

Moral da história:

Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja conosco. Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.

Como dia de São Jorge acabou de passar e Dia de Preto velho está chegando...

Resolvi começar com as explicações de Pai Joãozinho de Xangô sobre duas dúvidas frequentes...
É normal ptera velha comer feijoada?
Tambem de forma didática ele explica se é normal Ogum cortar bolo com sua espada...
Espero que gostem das explicações.

Espero trazer um pouco de novidades sobre os Orixás no mundo virtual